segunda-feira, 13 de abril de 2015

Velha senhora que resisti!

Venha comigo, só uns minutinhos.
 Dê-me sua mão, vamos seguir até a porta,  sinta o cheiro do tempo transcorrido e entre sem bater.
Localiza-se no final da rua, rodeada pela mata nativa,  na entrada do caminho se encontra um pequeno jardim, sem zelo e cuidados de hortênsias, margaridas, azaleias. Ali, está a velha casa, como também números desbotados,  as vidraças estão embasadas; atualmente é habitada pela inércia.
O aconchego já morou lá, aromas e fragrâncias deliciosos espalhados, entravam como intrusos pelo cômodos sem convites.
Está senhora quase secular tem base firme, foi pulsante de vida com frescor de lar, de modo que resistiu, assistiu a passagem do tempo, encorujada em sua ineficácia, mas não se engane:
 - Ainda existem energias vitais...daquelas que ficaram nas lembranças de quem foram felizes...de quem amou a casa e suas raízes.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...