domingo, 19 de fevereiro de 2017

Nova Petropólis é simplesmente encantadora

O horário de verão acabou, infelizmente dias mais longos ficarão para o próximo ano.
Fui até Nova Petropólis,colonizada por alemães, é simplesmente encantadora.
O sol a pico, meio me escondendo do sol e olhares nas paisagens, pessoas e curiosidades contribuíram com  histórias para novos posts, informações e belezas naturais.
Histórias dos imigrantes alemães sensíveis e trabalhadores que não desanimaram com adversidades da nova terra, as transformaram em modelo de comunidade, progresso e cultura.
As postagens serão de acordo com seguintes passeios:
  1. Armazém, antigo Grings- mercado/ secos e molhados.
  2.  Armazém Rosa Mosqueta- produtos variados e chá da planta.
  3. Museu Padre Theodor Amstad.
Espero que tenha agradável final de domingo, abraços a todos.



Amo hortênsias no final das floradas, tons ferrugens e restos de cores são muito bonitos.

Igreja  de Nova Petrópolis

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Passeios em Gramado

Seguem-se os dias em Gramado, ontem após o almoço fui passear pelas ruas.
Com clima agradável, contemplar cantinhos tranquilos, ruas silenciosas, sons ao longe, pedaços de conversas peculiar dos sulistas; aliás qualquer dia vou escrever como me divirto com o jeito de falar do gaúcho, diferente e cheio de gracejos, eufemismos e ditados populares.
Satisfação livre de janelas entreabertas, jardins bem cuidados com diversidades de flores, árvores, acrescentam charme e graciosidade; casinhas de passarinho pintadinhas e placas de bem-vindo.
Figuras bem apreciada nas casas, cachorros de porte médio a me fitarem entre frestas a fareja; onde habitualmente encontro olhares amistosos ou  intimidações.
Tenha um bom dia!
Obrigada por me acompanhar  pelos passeios em Gramado.







Rejane Menezes

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Imaginação

O que seria de nós sem imaginação, viveríamos presos ao presente e ao mundo concreto. Faculdade humana nos levam a emoções, através do olhar, sons, cheiros, aromas, percepções táteis, ao passado, futuro imaginado, a mais poderosa capacidade do ser humano que tanto nos impulsionam. Com imaginação podemos ser o que quisermos, abre-se o mundo das possibilidades; basta acreditar. Olhar para além da janela é o grande segredo !

Tenham uma boa de semana.



segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Escolhas para fotografar

Olá!
Nem parece que estamos em pleno verão, somente dias quentes e aquele céu azul teima em não aparecer. Mostra-se encoberto, até mesmo carrancudo.
Como diz um amigo fotógrafo:
- Eita céu desmaiado, uma maçaroca só!
Fora das horas apropriadas para fotografar, a escolha de sombra, abrigo, evitando-se o estouros das áreas claras; até que resultam cliques bem resolvidos em dias com muita luz.
Dias nublados predominam luz difusas bem bonitas, equilibradas, intensificam cores, contrastes  e sombras pronunciadas; ai é cuidar para que não aparece aquele céu descorado, porém algumas vezes não dá, então bora levar o desmaiado céu para lembrar-lhe que na fotografia existem escolhas sempre.
Beijos, gosto muito quando você me visita!




Em minhas andanças por Gramado, o que mais me encanta são detalhes caprichados, casas com jardins bem arrumados e singelos.
Que tudo esta janela decoradinha com casinhas.



domingo, 22 de janeiro de 2017

Fotografia, prazer e cultura

Fui a duas feiras de livros ( Canela/Gramado ), fora os sebos que estou sempre a garimpar livros de fotografias antigas, mais específico - de Gramado...procura daqui...procura de lá, e como o acaso sempre me favorece nas minhas andanças. 
Dias atrás...chovendo para variar e as lojas quase vazias, fui comprar palmilhas de lã de carneiro para acabarem de vez com os pés frios, entrei em uma loja típica de pelegos, botinhas, luvas, tapetes , outros acessórios para aquecerem o corpo e casa, no meu caso uma luz para  busca de livros, luz sim!. Quem me atendeu se mostrou super simpática, prestativa, está lá no ponto há 30 anos e nasceu em Gramado, portanto conhece quase tudo e todos.
Desenrolou-se uma conversita amena, acerca da idade do prédio, quando alguém gosta deste papo...ai sim disparo a tagarelar e perguntar...acho que mais a segunda opção.
Indicou-me objeto de desejo, há tempos procurado e mais ainda, onde reside o autor do livro! "Gramado Retratos"- Carlos Gilberto Drecksler/ Iraci Casagrande Koope, tão desejado, necessário, cobiçado há tempo, sem sucesso.
 O autor mora na rua principal, onde eu ando para cima e baixo com este livro precioso ( acervo da biblioteca municipal ), tento localizar os prédios antigos e como estão atualmente e fotografá-los.
Meu desejo é comprá-lo, os autores devem possuir algum exemplar, pois minha procura já está desanimadora, porque faço isso:
- Por puro prazer pela fotografia,  ter conhecimento da formação e cotidiano de outrora de Gramado, cidade na qual escolhi pelo coração para desfrutar momentos de paz e felicidade.
Abraços.



Rejane Menezes

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Casa, um gambá como hóspede

Alguém sabe pegar gambá?
Gente tá difícil, entrou um gambá barulhento no quarto, fica no forro da casa, toda noite parece tortura; barulhos, muda de lugar para dormir e torna aparece em outro local...corta papel, só falta ser ninho, eita vida...anda para lá e pra cá em constante agitação.
Em São Paulo, havia uma boazinha que só, dormiu durante anos no escritório da casa, durante o dia com a casa em silêncio, ouvia-se seu ronco; quando um dia de muito calor; a vi saindo do telhado, uma gambá com filhotinhos,o tempo passou e não sei o que aconteceu com minha hóspede, só encontramos o ninho bem arrumadinho quando dei manutenção no telhado.
Agora esse gambá daqui de Gramado, não foi aprovado, barulhento, inconstante e me deixa irritada.
Conversando com algumas pessoas sobre o que fazer, respostas inúmeras mas nada efetivo, desde procurar o lugar onde entra, colocar fumaça no telhado para espantá-lo; até caçador de gambá existe aqui. Ao perguntar sobre como se pega, a resposta causou perplexidade, ao mesmo tempo hilária, se não fosse o método nada convencional do cidadão:
-" Dona, pego uma arapuca grande, coloco queijo com bastante cachaça e todo dia de manhã passo para ver se ele caiu na armadilha, se obtive sucesso; ai o solto na mata."
Hem... hã...como assim... cachaça...misericórdia!
Achei a ideia bem bizarra e não aprovei, melhor procurar o lugar que entra, levantar telhas, tirar  ninho do indesejado bichinho, até encontrá-lo e finalmente fechar o local que entra.
Excelente começo de semana a todos.

Rejane Menezes

sábado, 14 de janeiro de 2017

Olhar e reflexão sobre o verão

Olá, em plena férias prolongadas, ando entre passeios, contemplação, leituras e momentos de extremo prazer. Dias quentes são refrescados por chuvas constantes, o céu cobre-se de nuvens pesadas,tons acinzentados em diversos matizes, transformam-no dramaticamente.
Gramado encantadora em quaisquer estação do ano, porém o verão é  totalidade da natureza em força beleza e vida. 
Paisagens de verdes intensos, ventos amenos, cheiros adocicados, cantos de pássaros pela manhã, sons estridentes e constantes de cigarras macho para atraírem as fêmeas ao longo do dia, finalmente a despencam chuvas refrescantes como balsamos.
Tenham ótimo final de semana.

Rejane Menezes