sexta-feira, 18 de abril de 2014

Mesas de Páscoa e arranjos.

Pensamos bem antes o que fazer para o almoço de páscoa e muitas vezes não cogitamos um capricho a mais na decoração da mesa, um detalhe diferente, com certeza decorar a mesa agrega bem mais a comemoração , pois já nos dá um clima mais festeiro, de harmonia e sentimento familiar.
Vasinhos de flores, toalha temática, guardanapos estilizados, uma louça especial, nomes nos pratos, coelhinhos, decorações com chocolates; enfim, só olhar o que temos e fazer uma adaptação que surgem os resultados satisfatórios.
Abraços e já, já eu volto.





























http://www.pinterest.com/menezes_rejane/pascoa/
Créditos e fonte.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Arte de viver bem

Estou em São Paulo faz dois meses, mas a saudade de Gramado cresceu demasiadamente neste período.
Desta vez vou com minha tia Li, boa de papo, tem rodinhas nos pés e uma vitalidade enorme que me inspira.
Uma das suas qualidades:
Viver intensamente sem pensar que a vida é tênue, sua idade para ela não conta, seu pensamento é no presente, onde passado é feito para recordar e não viver dentro dele.
Excelente começo de semana para você.
PS: Tantas belezas a me inspirar, saudades da bela Gramado que minha alma se compadece pelo não olhar.
                                                                                                                               
                                                                                                                         
















quinta-feira, 10 de abril de 2014

Lembranças de infância.

Uns posts atrás, escrevi que um dia escreveria sobre minha tia Juliana, por parte de pai, foi tão marcante sua presença na minha infância apesar de não frequentar assiduamente sua casa, poucas vezes, por isso mesmo que preservei memórias de bem estar, aconchego que ultrapassaram o tempo e me deixo levar por elas até hoje.
Espanhola nascida em 1910, com uma personalidade marcante, com narrativas envolventes,uma casa cheia de novidades para  uma criança que até mais observava que explorava, a doce arte da contemplação.
Se fecho meu olhos , ainda sinto ... o cheirinho de seu café da tarde com pão- de- ló, mantecaus ( docinhos que guarneciam constantemente sua mesa), sua casa  com lajotas encerradas vermelhas que insistiam em me refletir, seu armário de cozinha e a coleção de xícaras lindas, coloridas e dourada, a descoberta da televisão  e suas propagandas de bonequinhos, em que meu olhar hipnotizado  não conhecia e se encantava.
Mas as lembranças mais marcantes, a hora do  banho...lá estava ela firme no tempo...branca com torneira antiga, uma tampinha com correntinha, a água que escorria quente ao enchê-la, me deitava confortavelmente e fechava meus olhos e somente isso...já me proporcionava alegria e aconchego. Ás horas em que passava na saleta  de costura, a ouvir suas conversas, tantas outras horas a escutar o velho rádio e suas  telenovelas irradiadas... sedutoras lembranças...muitas...que daria muitas páginas e muita satisfação em recordar sentimentos tão bons.











Esta é exatamente a TV tão sedutora da minha infância.